Seja membro de nossa comunidade!

Cadastre seu melhor e-mail e receba nosso melhor conteúdo.

5 passos incríveis para escolher o tema de pesquisa

como escolher o tema de pesquisa

Compartilhe!

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Escolher o tema de pesquisa é uma das atividades mais difíceis de uma candidatura ao mestrado. Para quem não está acostumado com a rotina de pesquisa, a tarefa é ainda mais árdua.

Por isso, resolvi criar esse guia para quem está enfrentando esse desafio. Em um passo-a-passo incrivelmente simples, você terá um roteiro fundamental para superá-lo e escolher o tema de pesquisa que melhor reflete seus interesses!. 

1. Comece com o coração para escolher seu tema de pesquisa

Pode parecer um pouco estranho recomendar que a busca por um tema de pesquisa comece com o coração. Não, este não ‘e um conselho romântico. É pragmático.

Quando estamos verdadeiramente envolvidos com algo, é fácil nos envolvermos com a questão. Horas de estudo se passam rápido como um raio. Como resultado, a empolgação e a concentração da descoberta é tão intensa que parece quase mágica. Nossas mentes estão em alta velocidade e estamos “funcionando a todo vapor”.

É claro que uma pesquisa científica precisa ser o mais objetiva possível. Mas, no passo inicial de mapear o seu tema de pesquisa, é importante prestar atenção a sinais mais subjetivos. Eles indicarão que a questão é relevante emocionalmente para você.

Mas por que esse é um ponto importante? Porque uma pesquisa de mestrado é bastante intensa. Você deverá ler dezenas de livros e artigos, dedicar muitas horas à pesquisa e à redação da dissertação.

Se o tema não for algo “palpitante”, não disser algo a você do ponto de vista emocional, é bastante provável que, em algum momento, você perderá o interesse. E isso pode ser fatal para seu mestrado, já que você deve concluir tudo no prazo de dois anos. 

2. Reduza as possibilidades de tema de pesquisa com a técnica do esquadrinhamento 

Sei que, no início, pode parecer muito difícil escolher o seu tema de pesquisa. Mas não deixe esse obstáculo te desanimar. Você vai precisar de algum trabalho para encontrar exatamente o tema de seu projeto. Ele não “surgirá” na sua mente sem que você dedique algum tema lendo, pesquisando e refletindo sobre a questão.

Para facilitar esse trabalho, desenvolvi uma técnica a que denominei de “esquadrinhamento”. Ela facilita bastante o trabalho de seleção do tema, porque, a cada passo da técnica, você isolará questões que estão dentro de sua área de interesse.

Comece com as grandes áreas que te interessam

O primeiro passo é selecionar uma grande área do direito com a qual você deseja trabalhar. Em seguida, reduza a abrangência da pesquisa com um conjunto de questões relativas a aquela grande área.

Por exemplo, se você estiver trabalhando com propriedade intelectual e registro de patentes, o conjunto inicial de perguntas pode ser: Que tipos de patentes as empresas de sucesso obtêm? Quantas vezes elas já obtiveram essas patentes? Que tipos de patentes têm sido mais eficazes? Quais patentes geraram mais renda? O que as grandes empresas fazem de maneira diferente das pequenas empresas? Qual é o papel do Estado nesta área? As grandes empresas tendem a ser mais ou menos favorecidas pelos tribunais do que as pequenas empresas ? 

Quando você tiver identificado as áreas relevantes, o próximo passo é fazer perguntas ainda mais focadas. 

Nesse sentido, alguns critérios podem auxiliar nesse processo. Por exemplo, você pode utilizar os cronológicos e geográfico e reduzir o escopo da pesquisa. Por exemplo, pode limitar a pesquisa apenas a ações ajuizadas na década de 2001-2010 no Estado de São Paulo. 

Com isso, você vai reduzindo o escopo de sua pesquisa até ter um tema claro e delimitado. Encontre conexões e semelhanças entre as diferentes áreas que você identificou. Esta é a melhor maneira de encontrar a verdadeira pepita que embasará a sua proposta de dissertação.

3. Pesquise bastante sobre temas de seu interesse

 O tema não vai aparecer à sua frente do nada. A inspiração precisa de ação para emergir. É preciso ler o máximo que você puder a respeito dos temas que te interessaram. Somente assim as ideias começarão a fluir e será possível abrir respiração para a inspiração surgir. 

Inegavelmente, um dos aspectos mais importantes de todo este processo é a leitura. Mas não se limite a ler qualquer livro ou artigo antigo. Leia apenas aqueles que são relevantes ao seu projeto. Leia também livros conexos, ainda não sejam especificamente voltados ao seu objeto de pesquisa. Desta forma, você estará lendo apenas o que é verdadeiramente essencial.

Anote suas impressões sobre o material lido, bem como resuma as ideias colhidas. Essa será a base para você construir um olhar crítico sobre o tema a ser escolhido. Aos poucos, as anotações guiarão você, apresentando caminhos inimagináveis no início de sua busca, e ajudando a manter a continuidade em sua pesquisa.

4. Conheça as fronteiras do conhecimento da área escolhida

Pesquise sobre todos os extremos do tema. Parta dos conceitos mais teóricos até as respostas que têm sido dadas pelas instituições na prática. 

Entretanto, não se esqueça de procurar, também, os argumentos contrários aos mais aceitos na área. Usualmente, os melhores projetos exploram bastante as contradições entre o conhecimento dominante e os argumentos contrários. 

Em outras palavras, faça uma indagação variada no sentido de verificar quais as dimensões mais importantes do tema. Assim, será possível elaborar um olhar com a maior amplitude sobre o problema. 

Converse sobre o tema de pesquisa com outras pessoas

Outras pessoas podem agregar muito valor a sua jornada como pesquisador. Pessoas com experiências e pontos de vista diferentes do seu podem ser fundamentais. Assim, elas apresentarão um novo ângulo que você pode explorar. 

Então, convide amigos e colegas para aproximar-se da sua experiência diária. Você terá acesso a um novo horizonte para agregar ao seu conhecimento. As pessoas podem propor alguma alternativa e auxiliar em todas as etapas da pesquisa. Muitas das melhores fontes bibliográficas a que tive acesso foram sugeridas por outras pessoas.

5. A internet é sua amiga: use-a para escolher o tema de pesquisa

Nunca foi tão fácil pesquisar. Com a internet e o doutor Google, é fácil encontrar informação boa e de qualidade. Busque fontes confiáveis e seja muito cético, porque é muito mais fácil encontrar porcaria que bom material. 

Mas felizmente é possível encontrar material de qualidade se você souber onde procurar. 

O Google Acadêmico é seu amigo

O Google Acadêmico, por exemplo, tem muitos e bons artigos acadêmicos. Esse motor de busca do Google é específico para procurar por material acadêmico publicado em boas revistas especializadas. 

Mas lembre-se de ser perspicaz. Não se esqueça de usar seu bom senso. Mesmo no Google Scholar, há certos artigos que claramente não são relevantes para seu projeto.

Lembre-se também de que parte do material das primeiras páginas de uma busca no google não é necessariamente relevante. Mas continue procurando. Você encontrará o que busca. E não se esqueça de cruzar referências e fazer anotações sobre todo o material que você está lendo.

Escolha bem suas leituras

O aspecto mais importante de sua pesquisa é a leitura. Também não leia qualquer livro ou artigo antigo. Somente leia livros e artigos escritos por autoridades no campo. Estas pessoas têm algo a dizer que é ao mesmo tempo novo e verdadeiro. Desta forma, você vai filtrar o trigo, separando-o do joio.

Todavia, não adianta ler coisas que obviamente estão erradas ou extraídas de fontes sem relevância acadêmica. Se você vir uma referência obviamente errada ou tola, simplesmente ignore-a. É melhor ignorar uma boa referência do que interpretá-la de forma errada. Isto requer prática. Mas não tema; o processo é realmente divertido!

Tudo isso tornará o processo muito mais fluido e lhe dará uma visão geral de sua bibliografia. Toda essa leitura começará a lhe dar uma “sensação” do tópico. Suas anotações e escritos se tornarão a base de sua inspiração.

Continue construindo sobre estas idéias até que elas atinjam o nível de clareza e concretude necessário. Apenas assim elas poderão ser transformadas em uma proposta de dissertação.

Não fique impaciente. Este é um processo longo e árduo. Mas não desista. Paciência e perseverança certamente valerão a pena.

Não espere que seu tema simplesmente surja em sua mente. A inspiração precisa de ação para emergir. Uma vez que você tenha lido bastante e refletido sobre as questões propostas, será quase natural identificar o núcleo de sua idéia. E, assim, você poderá desenvolvê-la de tal forma que ela se torne mais forte, mais viável, mais executável. Escolher o tema de pesquisa será o resultado de seu esforço.

Uma dica extra: Encontrou o tema? Refine-o de acordo com as regras institucionais

Cada programa de pós-graduação é estruturado sobre linhas de pesquisa específicas. Algumas são mais amplas, como “direito público”, “criminologia” e “direito econômico”. Outras são mais restritas, como “análise econômica do direito” ou “a teoria do direito de Niklas Luhmann”. Há centenas de possibilidades.

Contudo, o tema do seu projeto precisa ser adequado às linhas de pesquisa da instituição em que você deseja ingressar. Um tema incompatível com as linhas de pesquisa levará à reprovação quase certa. 

Mas não se preocupe. As pesquisas de mestrado são usualmente interdisciplinares. Desse modo, quando o projeto for apenas parcialmente compatível, é (quase) sempre possível ajustá-lo para a instituição. Caso seja impossível encaixá-lo nas linhas de pesquisa de uma faculdade, ela se encaixará perfeitamente nas de outra.

Se você REALMENTE desejar cursar seu mestrado em uma instituição específica, e não está aberto a outras possibilidades, deve começar escolhendo primeiro a linha de pesquisa de seu interesse. Apenas depois você pode escolher seu tema, já assegurando a pertinência temática.

Em resumo…

Escolher o tema de pesquisa é o primeiro passo para a sua aprovação no mestrado. Sei que escolhê-lo é difícil. Você terá que ler muito. Deverá rascunhar ideias, revisitá-las, reformá-las.

Mas é o primeiro passo de uma escolha decisiva para toda a sua vida. E só você é capaz de definir a direção da sua pesquisa. Seja autônomo! Defina a linha a ser percorrida pelo seu mestrado e ajuste–as às regras institucionais da faculdade ou programa.

Com um tema de pesquisa concreto, bem delimitado e estruturado sobre um problema de pesquisa definido, esteja certo de que o caminho de sua aprovação estará construído sobre uma base sólida. 

Acompanhe por e-mail

Inscreva-se e receba em seu e-mail dicas e estratégias para desenvolver seu potencial acadêmico e realizar seus objetivos.

Confira também!

Rolar para cima